terça-feira, 31 de março de 2009

Hedonismo por Sérgio Paraty


A procura da satisfação do puro prazer através de um veículo com laivos de surrealismo, será uma das possíveis definições para a escrita que flui ao longo de este opúsculo.
Adoptando uma métrica reinventada, num estilo que poderá ser considerado como prosa poetizada, atentemos a original forma gráfica como a sua obra nos é apresentada. A aparente falta de ordem lógica de cada composição, cumprindo as suas próprias regras, adquire uma significação muito para além da leitura de uma mera obra literária descartável.

Dividido em três capítulos, Hedonismo inicia-se em Regenerescência por um esforço de adaptação a um meio que demonstra repudiar, deixando transpirar um tom a roçar o Niilismo.
A escrita segue para Radar de Oxigénio com uma necessidade de busca frenética de um ar onde se respire, libertário de uma claustrofobia social que o oprime e angustia.
Termina em Resiliência com um aparente regresso à forma original, uma reconstrução esboçando um auto-retrato em tons de ironia: Eu ando sempre por aí num estado de felicidade latente.

Nascido em Novembro de 1979, na Freguesia da Sé, Concelho do Porto, Sérgio Paraty desenvolveu um espírito crítico com tons de personalidade sensível e misantrópica. De entre os seus autores de eleição podemos contar Cossery, Vian, Pessoa, Gógol, Dostoievsky, Burroughs, Kerouack, coroando no topo das preferências Kafka. Dedicando grande parte do seu tempo à leitura e ao Rock ‘n’ Roll, colecciona música de forma obsessiva e compulsiva, tendo em Joy Division companhia inspiradora.
Publicou em 2004 Degenerescência, dando continuidade em Hedonismo a esta escrita de corrosivo intimismo. Um percurso errante pelo mundo académico e pela vida pessoal reflecte-se na quimera acre que perpassa pela sua escrita. De uma sensibilidade introspectiva levada ao extremo, em desequilíbrio vive a vida até ao limite.

De leitura aconselhável para espíritos inquietos.


outras informações contactar Fusion Press: comunicacao.fusionpress@gmail.com

quarta-feira, 25 de março de 2009

quarta-feira, 18 de março de 2009

Diogo Miranda no Portugal Fashion


Diogo Miranda volta à passerelle do Portugal Fashion, no próximo dia 21 de Março, pelas 15h30. Com o mote "Body Conscious", a sua nova colecção para a estação de Outono/Inverno vai buscar inspiração aos anos 80 que serão eternamente lembrados como uma década onde o exagero e a ostentação foram as suas marcas registadas, mostrando mulheres e homens glamorosos, cobertos de jóias e brilho por todo o luxo que o dinheiro podia pagar.
Nesse sentido esta colecção aposta na cintura alta, ombros marcados, pregas, drapeados, cores cítricas, pernas longas, contorno do corpo, algodões-lycra com estilo sportswear recém-saídas do ginásio. De igual forma destacam-se as silhuetas longas e estreitas com detalhes geométricos e grafismos associados ao sportswear dos anos 80.
Uma colecção, que segundo o próprio «será um pouco diferente das anteriores porque se denota uma grande evolução em termos criativos, no entanto todas as peças apresentadas terão claramente a imagem de marca, personalidade e inovação próprias da insígnia Diogo Miranda», concluiu o estilista.

sábado, 7 de março de 2009

Showroom Cultural de Moda
Apresentação Literária c/ Vera Cunha + Showcase Musical: Red Note
7 de Março de 2009
Galeria de Exposições da Junta de Freguesia de Espinho




Um agradecimento especial:
- Junta de Freguesia de Espinho
.
- Aipal
.
- Red Note
.
-Vera Cunha
.
- Inato
.
- E a todos os presentes nesta iniciativa Fusion Press...

terça-feira, 3 de março de 2009

Programação:
21h - Cocktail de Boas Vindas
.
21h30 – Showcase Musical com Red Note
.
22h – Apresentação Literária de Vera Cunha com os livros:
- Vénia;
- No Inverno de Maio;
- Ter apenas isto: Borboletas com asas de Chocolate;
.
Preço: 1 Euro
.
Local: Galeria de Exposições da Junta de Freguesia de Espinho
.
Uma organização:
Fusion Press